Arquivo do blog

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

SDR promove reunião de apicultores e meliponicultores para discutir a fusão da cadeia produtiva de abelhas e mel no município

Na manhã desta sexta-feira, 30 de agosto, a Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR) e a Empresa de Assistência Técnica e de Extensão Rural do Ceará (EMATERCE), promovem um encontro inédito entre os Produtores de Mel de Abelhas ligados a Associação dos Apicultores de Nova Olinda (NOVAPIS) e os meliponicultores (que são os criadores de abelhas nativas – criadas em cortiço - e são das famílias de jandaíra  uruçu, canudo, jataí, cupira, brabo, etc). A reunião será na sede da Câmara Municipal de Nova Olinda, a partir das 8 horas.
A expectativa dos organizadores é de reunir cerca de 30 produtores de mel e de abelha desta cadeia produtiva que de acordo com o presidente da NOVAPIS, Cícero Alves de Matos Filho (foto), tem forte potencial para gerar emprego e renda no município, mas na visão dele, ainda precisa de mais organização dos produtores e de maior apoio dos governos, sobretudo, de assistência técnica e de crédito bancário. O presidente destaca que um avanço importante nesse campo foi o geo-referenciamento das áreas produtivas ligadas a apicultura e meliponicultura que permite uma identificação exata dos apiários e dando maior confiabilidade aos projetos de abertura de crédito destinados a estas atividades. De acordo com ele, a produção média anual de mel de abelha em Nova Olinda chega a 4 toneladas apesar das dificuldades, por isso, essa maior organização dos produtores, bem como, o maior envolvimentos dos governos apoiando a cadeia produtiva do mel poderá aumentar ainda mais essa produção.

O subsecretário de Agricultura, Venâncio Guerreiro, diz que a SDR elege como prioridade para o setor a viabilização da casa do mel em parceria com o Governo do Estado e com a NOVAPIS e que o governo Ronaldo Sampaio se dispõe a dar cada vez maior apoio as atividades produtivas do setor.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, a sua opinião