Arquivo do blog

domingo, 1 de fevereiro de 2015

NOVO-OLINDENSE É NOMEADO PARA A PRESIDÊNCIA DO FNDE


O engenheiro civil novo-olindense, Antônio Idilvan de Lima Alencar (foto), 46 anos, foi nomeado pelo ministro da Educação, Cid Gomes, para o cargo de Presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Idilvan Alencar, atualmente ocupa o cargo de secretário-executivo da Secretaria da Educação básica do Ceará, aceitou a nova missão. A nomeação deve sair no Diário Oficial da União desta terça-feira, dia 3. O novo presidente já está em Brasília assumindo a chefia do órgão.
O FNDE é uma autarquia federal ligada ao Ministério da Educação (MEC), encarregada da execução de políticas educacionais do MEC como os programas de Alimentação Escolar, Livro Didático, Dinheiro Direto na Escola, Biblioteca da Escola, Transporte do Escolar, Caminho da Escola, Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil – que fazem do FNDE uma instituição de referência na Educação Brasileira. E se tornou, nos últimos anos, o maior parceiro dos 26 estados, dos 5.565 municípios e do Distrito Federal, para o financiamento da educação pública no Brasil.
Desde que assumiu o comando do ministério da educação, no início do mês, Cid Gomes, anunciou que vai implantar um jeito de governar com metas definidas e que pretende fomentar nos estados políticas públicas de resultados com foco no rendimento escolar, buscando, a melhoria da relação ensino-aprendizagem, sobretudo, no ensino médio que segundo o novo ministro “está defasado” e “longe do ideal” e ao ponderar que 'melhorar é preciso' o ex-governador do Ceará aposta que uma dessas mudanças fundamentais está na ‘adequação dos currículos nacionais’ e no amadurecimento do ‘pacto nacional pela alfabetização na idade certa’ que foi inspirado em um programa estadual do seu governo no estado, o PAIC - Programa de Alfabetização na Idade Certa, e que teve a participação efetiva do presidente nomeado  do FNDE enquanto secretário executivo da SEDUC no Ceará durante os últimos 8 anos, período em que, a educação no estado, obteve o maior crescimento qualitativo com a instituição do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (SPAECE) que faz um acompanhamento constante de todas as escolas públicas do estado, seja das redes municipais ou estaduais, avaliando os alunos da educação básica desde o ensino fundamental até o ensino médio.  O resultado é que o sistema permite aos governantes um melhor conhecimento da realidade de cada escola. E a cada escola, a conhecer melhor o desempenho de cada um dos seus alunos, tendo como foco a busca da melhoria do rendimento escolar.

Esta experiência administrativa e a boa relação de amizade existente entre o atual ministro do MEC e o agora presidente do FNDE podem ser decisivas para os desafios que o governo da presidenta Dilma Rousseff (PT) tem de enfrentar nos próximos anos que são aproximar as contas, aonde os resultados positivos da educação acompanhem os aumentos dos investimentos, coisa que nos últimos anos não tem acontecido.
A nomeação do conterrâneo Idilvan Alencar para o comando do FNDE que é o principal interlocutor do MEC com os estados e municípios é uma demonstração de que o Cid Gomes está com liberdade política para montar a sua equipe e poder governar ao lado de pessoas competentes sem a ingerência política que é peculiar em Brasília. Assim, o novo ministro ficará a vontade para não só desenvolver os programas e projetos que já são tradicionalmente da responsabilidade do MEC, mas, poderá também fazer as inovações necessárias com segurança técnica e politica, já que atuará ao lado de pessoas com o reconhecido gabarito profissional e da sua inteira confiança política como é o caso do presidente nomeado do FNDE.

Cid Gomes ainda terá de nomear outros titulares também importantes para o núcleo gestor do MEC como das Secretarias da Educação Superior, Educação continuada e Regulação e Supervisão, que ainda são ocupadas por interinos.

O novo presidente do FNDE ainda não se pronunciou oficialmente sobre a sua nomeação, aguarda a publicação no diário oficial, somente para o cumprimento dos protocolos. Ele é natural de Nova Olinda, cidadezinha de 15 mil habitantes, fincada no sopé da serra do Araripe a 560 km de Fortaleza, foi fundada pelo seu avô Antônio Jeremias Pereira no ano de 1957. Estudou o primário (Do 1º ao 5º anos do ensino fundamental) na Escola Padre Luís Filgueiras, pertencente à rede estadual de ensino, entidade da qual a sua mãe a professora Vicência Pereira de Lima Alencar foi sua primeira diretora.
 
Apesar da sua graduação em Engenharia Civil pela UNIFOR, os valores e as missões do ambiente escolar sempre estiveram ao lado dele desde a infância tendo a mãe como referencia do esforço humano que é preciso para a gestão escolar tendo de combinar sempre o ideal com o possível, linha   tênue que separa o planejamento e a execução de metas.
 
Mas, isso parece não ser barreira para o atual presidente do FNDE que atualmente está concluindo o estudo de mestrado em Gestão e Avaliação da Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais. O mesmo é especialista em Política, Administração e Marketing pela Fundação Getúlio Vargas - FGV, tendo atuado como Coordenador da Arrecadação Estadual, entre os anos de 2001 a 2003 quando, no período, foi o auditor da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará.
 
Entre 2003 a 2006, na Secretaria de Planejamento do Estado do Ceará, Idilvan Alencar, integrou a equipe de coordenação que culminou com a Reestruturação e Redesenho de Processo das Secretarias Estaduais de Saúde, Educação, Fazenda, Ação Social, Justiça e Segurança Pública, permitindo uma reorganização do organograma administrativo do estado do Ceará com foco no aumento das receitas e na redução de gastos do estado, e por consequência, na melhoria da capacidade de investimento do estado.
 
No ano de 2005, como assessor de Projetos Especiais junto a Secretaria da Fazenda do Amapá, atuou na reestruturação das Secretarias de Administração, Fazenda e Planejamento daquele estado. E de janeiro de 2007 a abril de 2014, exerceu o cargo de Secretário Executivo da Educação do Estado do Ceará. Desde então, foi promovido a Secretário Adjunto da Educação do Estado do Ceará, cargo que ocupou até janeiro deste ano, sendo esta até aqui a sua experiência mais complexa no ramo da gestão pública, ao mesmo tempo, pelas oportunidades e dificuldades que o cargo em comissão oferece.
 
A partir de agora saberemos, do que será capaz esse novo-olindense do cariri cearense diante de tantos outros desafios que a vida de presidente do FNDE lhe reserva ao reescrever sua biografia.   
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, a sua opinião