Arquivo do blog

domingo, 25 de novembro de 2018

[Santana Do Cariri] Refletir para superar os traumas de 1925


O município de Santana do Cariri completa hoje 133 anos de emancipação política 

Fundada em 25 de novembro de 1885 quando foi desmembrada do município de Assaré, a cidade é uma das 4 urbes centenárias da região do cariri oeste, sendo a terceira mais antiga [133 anos]. A data magna para o vereador João Cabral (PT) é uma oportunidade “Para refletir o que é o legado de ser santanense” disse durante a sessão legislativa da câmara de vereadores na ultima quinta-feira, dia 22, em plenário. 

Em seu discurso o vereador fez um resgate histórico de algumas das personalidades que ajudaram a fazer com que a cidade conquistasse o título de “Capital da Paleontologia” como o ex-prefeito e ex-reitor da URCA, Plácido Cidade Nuvens, para chamar a atenção das autoridades e das personalidades atuais para o futuro do município. Cabral lembrou que potencial não falta a cidade para crescer e se desenvolver, no entanto, isso tem acontecido de forma lenta, lamentou. 

O vereador do PT foi contundente nas críticas feitas a classe política do município, inclusive, fez meia culpa ao dizer que 

“nossas questões particulares, nossos interesses pessoais, pequenos, estão atrapalhando e muito, o desenvolvimento dessa nossa terra”  

O discurso foi ouvido passivamente pelos demais 10 vereadores da casa. Mas as palavras corajosas do vereador João Cabral não podem ficar no vazio, elas devem ecoar por todo o município com o mesmo espírito republicano com que foram ditas no plenário da câmara de vereadores sem ostracismo nem absolvições. 

Cada um deve assumir a sua responsabilidade enquanto atores do desenvolvimento sejam dos setores econômico ou do social, o que não dá é para passar mais 100 anos esperando as coisas acontecerem. 

O vereador relatou que no ano de 1925 o município de Santana do Cariri possuía 16 mil habitantes, hoje, quase um século depois (93 anos) o município passou para a casa dos 17 mil moradores.  

Cabral fez um comparativo: 

“Santana do Cariri em 1925 tinha 16 mil habitantes, Juazeiro só tinha 30 mil. Juazeiro hoje tem 300 mil. Santana tem 17 mil e quinhentos habitantes” disse. 

Para o vereador o que está acontecendo é que Santana do Cariri têm potencialidade [para crescer e se desenvolver] 

“mas nós estamos deixando estas potencialidades escapar” falou. 

História
No ano de 1925 o município de Santana do Cariri era governado pelo coronel Felinto da Cruz Neves, então prefeito da cidade. Sabemos que esse foi um ano trágico de batalhas pessoais entre o coronel Felinto da Cruz e o fazendeiro e comerciante Manoel Alexandre ocasionando guerras e muitas mortes de ambos os lados que acabaram deixando traumas sentidos até hoje na sociedade santanense, no entanto, não se justifica que a cidade tenha parado no tempo, pois, assim como Santana do Cariri o Juazeiro do Norte que a época era governado por ninguém menos do que Padre Cicero Romão Batista, então prefeito da cidade, também passou por conflitos de guerra com armas de fogo e crises de cunho político e religioso, os quais culminaram com a suspensão da ordem sacerdotal do padre Cicero, mesmo assim Juazeiro do Norte experimenta desde então um franco crescimento econômico e desenvolvimento social. 

Ao falar da situação de crise pela qual passam os santanenses o vereador João Cabral lembrou que 

“a maioria de Santana [do Cariri] nem de um salário vive” comentou em relação a renda per capta de Santana do cariri. 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), com dados do ano de 2016, 56.5% da população tem renda mensal per capta de até ½ (meio) salário mínimo. O mesmo levantamento mostra que a proporção de pessoas ocupadas em relação à população total de Santana do Cariri era somente de 5.8%. 

Mesmo com tantos atrativos e potenciais de desenvolvimento destacados pelo vereador em sua fala, como é o caso do turismo religioso e científico com a história da menina Benigna reconhecida como beata pela igreja católica; o pontal de Santa Cruz que é um ponto de observação panorâmica localizado há mais de 700 metros de altitude no topo da Chapada de Araripe; o Museu de Paleontologia, a cidade convive com uma realidade economicamente deprimida e socialmente subdesenvolvida. 

João Cabral chama os representantes dos poderes executivo e legislativo para fazer uma reflexão sobre a cidade que está sendo construída para o futuro. 

“nós temos que saber se nós estamos fazendo um legado positivo para as futuras gerações” 

E pergunta se Santana do Cariri tem se preocupado com o futuro dos jovens que saem todos os dias da cidade para os bancos das universidades no Cariri buscando uma formação acadêmica? 

O petista lamentou que exista na cidade uma legião de pessoas formadas e desempregadas, capacitadas e sem oportunidades de desenvolverem as suas profissões, muitas delas tendo de sobreviver das rendas dos auxílios de benefícios sociais do governo porque não tem emprego para as mesmas. 

Além disso, o vereador denunciou que o município enfrenta problemas de falhas de gestão que são incompreensíveis e inaceitáveis como a falta de insumos e de medicamentos no Hospital Municipal que segundo ele tem sido motivo de reclamação de muitas pessoas. 

Por isso, além de ter de enfrentar questões históricas de setores econômicos como a indústria, comércio, serviços e agricultura, para fomentar a geração de trabalho, emprego e renda, o município precisa vencer as questões politicas do clientelismo, paternalismo e a corrupção presentes nos atos de gestão nos poderes do executivo e legislativo. Isso é tão importante quanto modificar o perfil demográfico e econômico do município. 

Ao longo das ultimas décadas comparadas pelo vereador João Cabral desde 1925 em seu discurso foram profundas as transformações pelas quais passou a economia à época marcada pela produção de algodão e de cana de açúcar para atualmente a produção de milho e a extração mineral, no entanto, “Para refletir o que é o legado de ser santanense” como sugere o vereador é preciso superar as velhas práticas do poder coronelista e oligárquico que permanece nos dias atuais.

Para tanto basta lembrar como está sendo conduzido o atual processo de eleição da mesa diretora da Câmara Municipal que põe o município de Santana do Cariri nas manchetes indesejáveis para uma cidade com tantas histórias boas para serem contadas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, a sua opinião