[Nova Olinda] Cadê a empresa que estava aqui? Prefeitura procura por fornecedor que sumiu

RANILSON SILVA | 12:18 |



Dois telefones que ninguém atende, e um endereço aonde ninguém despacha. Esse é um resumo de mais uma história intrigante que envolve um fornecedor de materiais para a prefeitura de Nova Olinda, Ceará. Há dias o chefe do Controle Interno, órgão da prefeitura encarregado de operar as compras municipais, tenta por esses meios fazer um novo pedido de materiais de expediente para atender as necessidades de vários setores da prefeitura e não consegue. 

Print da conversa 
O Controlador geral, Armando Fernandes Vieira, contou a nossa reportagem que ele e uma servidora do departamento de compras já procuraram informações em todos os órgãos sobre a empresa e tudo o que conseguiram até agora foram o endereço da mesma e dois telefones, sendo um de contato móvel e outro do fixo, no entanto, o telefone fixo que tem prefixo de Juazeiro do Norte “simplesmente não atende” e no contato móvel do DDD 88 por via de chamada de voz o mesmo acontece e quando a tentativa é por via de mensagens por aplicativo (WhatsApp) o interlocutor perguntou apenas quem era que fazia o contato e não respondeu mais nada ao ser informado que era da prefeitura informando que 
“estamos precisando de material de expediente”.
O diálogo está no print da curta conversa que o controlador interno teve com o provável fornecedor na tarde desta quarta-feira (27). 

Alguns elementos da mensagem gráfica [print] foram preservados por nossa reportagem para não expor a pessoa do outro lado da conversa, porque até o momento do fechamento desta reportagem a identidade do responsável pela empresa, bem como, do proprietário do telefone celular contatado ainda não foram autenticadas.

"Justamente essa dúvida que levanta preocupação e suspeitas" comenta. 

A preocupação, segundo o controlador, é porque em muitas secretarias e em escolas municipais 'o material está no fim' 

"enquanto o contrato com a empresa fornecedora estiver em vigência a prefeitura não pode comprar de outro fornecedor" reclama. 

Suspeitas

As suspeitas, de acordo com o mesmo, começaram quando no único contato em que deu resposta a pessoa do outro lado manteve o silêncio como resposta. Depois que o controlador foi pessoalmente até o endereço cadastrado na prefeitura pelo próprio fornecedor dando ciência da sede da empresa e 'não encontrou ninguém lá' as suspeitas só aumentam.
"A prefeitura quer saber quem é o responsável pela empresa fornecedora de material de expediente que até agora não apareceu para cumprir com o seu contrato e nem deu respostas" afirma o controlador.


A empresa

De acordo com as informações contidas no contrato com a prefeitura a empresa trata-se da J.A.M Comércio de A. LTDA ME. O endereço da sede da empresa seria a Rua São Luiz, número 694, Bairro São Miguel, Juazeiro do Norte, Ceará. O endereço que foi visitado por 2 (duas) vezes pelo controlador geral da prefeitura também recebeu a vista da nossa reportagem. 

O endereço

Encontramos no numeral 694 um prédio comercial fechado e na vizinhança ninguém soube informar ao certo o que funciona lá. Um vigilante que trabalha na sede do Senac - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial que fica de frente ao prédio disse que trabalha há anos no local e nunca viu movimentação no lugar "apenas ouvi dizer que aí é uma licitação de prefeituras, mas vive fechado" contou. 


Os controladores

De acordo com os dados do Cadastro Nacional d Pessoa Jurpicia - CNPj disponível  na internet os controladores da empresa são respectivamente 

Nome Empresarial: FRANCISCO DE ASSIS VIEIRA DOS SANTOS
Qualificação: 22-Sócio

Nome Empresarial: FRANCISCO FELIX PEREIRA

Qualificação: 49-Sócio-Administrador

Mas esses dados são insuficientes para chegar a identificação de quem realmente opera as vendas e os negócios da empresa. 

O vigilante

Indagado por nossa reportagem se no lugar funciona um centro de distribuição de material, se por a caso, ele ver sair carradas de material de lá o vigilante que preferiu não se identificar foi categórico!
"Nunca vi não. Nunca vi sair nada dai, nem nada tem lá dentro, até gente é difícil ver por ai, só esses dias que apareceram para reformar o prédio" disse.
Assim como o controlador da prefeitura a nossa reportagem também ligou para o telefone fixo da empresa e ninguém atende.

Movimento dos contratos

Em pesquisas feitas pela nossa reportagem junto ao Portal da Transparência da Prefeitura de Nova Olinda poe meio do Tribunal de Contas dos Municípios foram encontrados pagamentos que somam R$ 112.957,13 (Cento e doze mil nove centos e cinquenta e sete reais e treze centavos) sendo:

2 (dois) itens de despesas no ano de 2016 no valor de R$ 13.818,50 (Treze mil e oito centos e dezoito reais e cinquenta centavos) e 

1 item de despesa no ano de 2018 no valor de R$ 99.139,63 (Noventa e nove mil e cento e trinta e nove reais e sessenta e três centavos).

A dúvida

A pergunta que não pode calar é poque uma empresa que demonstrou, sobretudo, no ano de 2018 um relacionamento tão próximo com a prefeitura aonde foram feitas 19 compras municipais, todas pagas rigorosamente em dia, e sumi assim tão repentinamente e sem dar explicações no início de 2019 com um contrato de fornecimento ainda vigente com o município?

     

  Arte: Excellence Marketing Digital
      

Em:: , , , ,

Seguidores