[Golpe] Estudantes denunciam falso curso técnico que funcionava em Nova Olinda

Ranilson Silva | 10:51 |

Segunda-feira, 9 de março de 2020

Turma exibe o BO Coletivo registrado na 19ª Delegacia regional em Crato


Alunos de um curso de formação de técnico em enfermagem do Centro de Educação Polo, com sede no município de Jardim, na região sul do Ceará, tiveram um prejuízo estimado em mais de R$ 50 mil reais em mensalidades pagas durante 1 ano de funcionamento da turma na escola da rede estadual de ensino, Padre Luís Filgueiras, no bairro Cruzeiro, Nova Olinda (CE). 

Uma das vítimas, Carlos Brito, diz que a escola estadual somente cedia o local para as aulas, mas que a escola não tinha vínculo direto com a instituição acusada da fraude. Ele conta que assim que a direção da escola foi informada pelos alunos sobre as suspeitas a direção da instituição pública mandou interromper o uso das dependências da escola estadual pelo Polo. 

De acordo com 16 boletins de ocorrências registrados na manhã desta segunda-feira (9) na sede da 19ª Delegacia Regional de Polícia Civil em Crato, a turma foi vítima de estelionato com base em investigação dos próprios alunos os quais já apresentaram denúncias junto ao Ministério Público Estadual. Conforme o relato das vítimas o Centro de Educação Polo que ofertava o curso técnico em enfermagem, na cidade de Nova Olinda, desde fevereiro de 2019 sem autorização do Ministério da Educação (MEC) e sem o reconhecimento do Conselho Regional de Enfermagem - COREN para disponibilizar o referido curso. Por isso, conforme a denúncia, a instituição não está apta a emitir o certificado de habilitação profissional correspondente ao curso ofertado. 

O caso

Na denúncia, os estudantes narram que após um ano de aulas a instituição não se credenciou junto ao Hospital Regional do Cariri – HRC para ofertar os 6 meses de estágio como havia se comprometido com a turma, o fato levantou suspeitas de parte dos estudantes que ao investigar por conta própria descobriu que na verdade o Centro de Educação Polo não era credenciado para esse tipo de serviço que oferecia, a instituição buscava como alternativa, ao final do curso, a emissão do diploma de formação profissional pelo IEPB que é uma instituição de Educação Profissional, com matriz na cidade de Campina Grande, Paraíba. Esta entidade tem cursos técnicos autorizados e reconhecidos por Resoluções do Conselho Estadual de Educação da Paraíba e pelo MEC, no entanto, procurada pelos estudantes do curso da Polo a IEPB afirmou que não tem convênio com o Centro Polo e que mesmo se tivesse não poderia emitir tais certificados uma vez que para a entidade emitir os certificados os estudantes têm de passar por um curso presencial ofertado pela própria instituição o que não é o caso. 

Pelo menos 16 estudantes foram vítimas da fraude. Eles compareciam a escola estadual todos os domingos das 8 às 14 horas para estudar, após o início das investigações e o levantamento de suspeitas sobre a fraude as aulas foram suspensas. 

Os denunciados

Os alunos buscam a responsabilização criminal por estelionato contra o diretor da instituição que se apresenta nos contratos como Francisco Eugênio Pereira que seria funcionário público da prefeitura municipal de Jardim (CE). A polícia também vai investigar a responsabilidade de uma pessoa que se apresenta como enfermeiro, Carlos Cavalcante, de acordo com as denúncias era o responsável por ministrar as aulas para a turma, bem como, a pessoa de Flávio Marcílio identificado pelos alunos como coordenador do falso curso. Além disso, os estudantes querem todo o dinheiro investido por eles de volta com juros e correção monetária. 

Nossa reportagem tentou contato com a instituição de ensino através dos telefones informados em cópias de documentos fornecidos pelos alunos, mas não conseguiu posicionamento do Polo sobre a denúncia dos estudantes. 

Em:: , , , , ,

Seguidores