[Opinião] Afonso será o líder emérito do PT ao unir seu grupo ao de Socorro

Ranilson Silva | 16:57 |

Domingo, 12 de julho de 2020



Socorro Matos, ex-vereadora de Nova Olinda (CE) e candidata derrotada nas eleições municipais de 2016 para o cargo de prefeita, tornou-se signatária de 3.776 votos naquela eleição municipal, o que correspondeu, naquele momento, a 39,04% do eleitorado novo-olindense. Apesar do número ter sido insuficiente para garantir uma vitória, o resultado garantiu ao seu partido o protagonismo político no campo das oposições a partir da posse de Afonso Sampaio no cargo de prefeito com a vitória considerada magra, por ele mesmo, com 5.881 votos, ou 60,96% dos votos válidos.


Além do bom desempenho nas urnas outros fatores contribuíram decisivamente para a manutenção do status de Socorro como principal força política no campo da oposição. Um deles foi a saída estratégica do empresário Gerlanio Sampaio da figura de pré-candidato o que deu a professora ainda mais terreno para crescer como oposicionista. Outra razão é a falta de outro nome forte dentro do próprio partido para disputar com ela a indicação da vaga o que a torna, portanto, a personagem central da oposição marcada pelo PT no município. Mas nenhum outro fator contribuiu mais para o vertiginoso crescimento do nome de Socorro Matos na oposição quanto o fraco desempenho do último governo de Afonso Sampaio. 

Ao passo que o governo de Afonso Sampaio se enfraquecia a liderança de Socorro Matos se fortalecia.   O embate em torno do precatório dos professores colocou a líder da oposição e o então prefeito em rota de colisão e serviu de cenário para o protagonismo da professora frente ao governo que ela encarava, denunciava e combatia. 

Com a queda de Afonso Sampaio em maio do ano passado e com a ascensão do médico Ítalo Brito ao cargo de prefeito após um intenso embate político aonde a Socorro Matos assistiu a tudo sem se posicionar a imagem da então líder de oposição sofreu fortes desgastes porque o eleitorado ficou sem entender como até então a voz combativa da professora e sindicalista se calou de uma hora para a outra. 

Enquanto o atual prefeito trabalhava para montar um grupo político para si, Afonso Sampaio lutava para resistir às pressões pela volta ao poder, Socorro Matos se absteve de cumprir o único papel que lhe restava que era o de se opor, se fazer contrária, afinal, esta é a função da oposição. 

A letargia da professora nesse período de transição dos governos Afonso-Ítalo, traz vinculada a sua imagem e ao seu discurso, ao mesmo tempo, elementos de dúvidas sobre a Socorro sindicalista, valente e combativa que levantava as bandeiras da independência, da ética e da moral, de repente, abandona o seu discurso e a sua imagem sem dizer a troco de que? 

A figura combativa de Socorro Matos que ontem conhecíamos foi historicamente construída em contraponto aos governos e práticas que ela mesma reprovava e condenava na pessoa do ex-prefeito Afonso Sampaio. Afinal, ser oposição é se colocar contra algo ou alguém. Na política local, há menos que todos nós estejamos enganados a liderança política no campo da oposição construída por Socorro Matos se deu nos governos e na pessoa de Afonso Sampaio. 

Dito de outra forma: o PT municipal se constitui como um partido de esquerda, com ideias e ideais de classe trabalhadora a partir de atuação em sindicatos e associações. As ações do partido a nível municipal têm se confundido com a imagem combativa da líder sindical Socorro Matos, da defesa de diretos e inclusão social e de um discurso ideológico que a liga ao socialismo e, consequentemente, a vincula a um ideal de independência do grupo ao qual ela representa. Esse conjunto de coisa garantiu uma ascensão importante da ex-vereadora para a liderança desse grupo de oposição, no entanto, após um período assistindo aos acontecimentos políticos sem se posicionar em relação as suspeitas de práticas de corrupção, processos judiciais e políticos, operações policiais e até prisões de parentes e secretários do ex-prefeito, a professora aparece na cena política e quebra o silêncio que durou mais de 1 ano justamente para dizer que está sim negociando e construindo uma aliança política eleitoral justamente com o ex-prefeito que a fez crescer enquanto oposição. 

Ao anunciar, por suas redes sociais, em vídeo gravado para não deixar dúvidas de que agora ela está do lado de Afonso Sampaio, a sindicalista Socorro Matos se resumiu a dizer que uma negociação nesse sentido está sendo feita pelo presidente do seu partido, em seu nome, não deu qualquer explicação para a sua mudança de posição, abandonou o discurso de antes sem construir um novo discurso. 

Todo líder tem ao seu lado um grupo que goza das mesmas aspirações, ideais e princípios, tal grupo é mobilizado e motivado pela imagem e pelo discurso do seu líder. 

Na atual conjuntura temos a unificação de duas correntes politicas que convivem em conflitos ideológicos e familiares há anos, se tratam a socos e ponta pés e hoje caminham para a mais perfeita harmonia como afirma o presidente municipal do PT. Resta saber quando da unificação quem faz parte e como fica o novo grupo? Qual a base dos princípios desse novo grupo? Os ideais de democracia, transparência, combate a corrupção, combate ao empreguismo, por exemplo, tem lugar nesse novo grupo? 

Pois bem, no vídeo gravado, nesse sábado (11/07) e no comunicado feito por texto na sexta-feira (10), Socorro Matos fez especial referência a uma negociação direta do presidente do seu partido junto ao grupo político do ex-prefeito e endossou os termos da negociação que pode levar, inclusive, a ela a retirar a sua pré-candidatura devido a uma condição dada pelo ex-gestor para dar apoio a sua virtual candidatura que é ser melhor avaliada numa pesquisa interna que vai contar com nomes indicados por Afonso Sampaio, ou seja, a pré-candidatura do PT este ano se torna dependente de condições impostas por aquele que até então foi o seu algoz. 

Tem uma velha máxima social que diz que “você não deve cuspir no prato que comeu”. Nesse caso em concreto a professora Socorro Matos quer comer no prato que cuspiu. O fato de ela ter passado o último ano calada, sem se posicionar diante da situação do caos político e administrativo, de não ter cumprido com a função de líder de oposição, pode não ter sido suficiente para limpar a sujeira que ela denunciava antes de sonhar em ter a sua futura candidatura a prefeita apadrinhada por aquele a quem ela tanto combateu. 

O cataclismo que atingiu o ex-prefeito no último ano em razão de denúncias de corrupção e desvios éticos no trato da coisa pública parece não ser um problema para a professora. Questão relevante é saber se o que existe de comum acordo entre Socorro Matos e o dirigente do seu partido a nível municipal como ela escreveu na sua rede social é compartilhado também com os demais integrantes do grupo do PT local, saber se assim, como a pré-candidata e o dirigente da sigla as demais pessoas ligadas ao petismo estão dispostas a mudar os discursos e as práticas políticas em relação ao representante do governo “das velhas práticas políticas” como assim era tachado a gestão Afonso Sampaio pelo PT de Nova Olinda. 

Com a confirmação dos acordos, dependendo do resultado das negociações, Afonso e Socorro podem sair ainda mais inimigos políticos do que já são ou o PT vai fazer de Afonso o seu líder emérito.

Em:: , , ,

Seguidores