Mastologista fala sobre prevenção ao Câncer de Mama

Ranilson Silva | 10:50 |

 Segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Médico mastologista Ricardo Quidute


Especialista explica o objetivo da campanha Outubro Rosa e a importância da prevenção, assim como do diagnóstico precoce

 

O Outubro Rosa, que surgiu em 1990, em Nova York, tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção à doença, bem como levar informações importantes ao maior número de pessoas, o que se torna ainda mais necessário no momento atual, visto que 62% das mulheres esperam o fim da pandemia para voltar à rotina de cuidados com a saúde, segundo pesquisa realizada pelo Ibope.

De acordo com o mastologista Ricardo Quidute, professor do Curso de Medicina da Estácio, as medidas de prevenção são fundamentais para a redução da mortalidade. Ele afirma que o Outubro Rosa tem o objetivo de informar à população sobre a importância da detecção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esse ano o slogan adotado pela Sociedade Brasileira de Mastologia é “O Quanto antes melhor”. Esse tema abrange a adoção de hábitos de vida saudáveis pelas mulheres e boa alimentação, até a descoberta do câncer na sua fase inicial.

Com essas medidas, segundo o médico, é possível conseguir a redução dos casos de câncer de mama de 15% a 30%. “Quanto mais precoce o câncer de mama é diagnosticado, maiores são a chances de cura”, afirma. No Brasil, espera-se para o ano de 2020, 66 mil novos casos. “Um motivo de preocupação em nosso estado é que nos últimos 10 anos, observamos um aumento de 40% no número de casos, e um aumento também de 59% na taxa de mortalidade”, avalia.

Com a pandemia, conforme Ricardo Quidute, o quadro tem piorado, porque a procura por atendimento dos serviços de oncologia caiu acentuadamente, principalmente nos meses de março e abril, algo em torno de 60% a 80%. A mamografia é isoladamente, afirma o especialista, o método mais eficaz para o diagnóstico precoce de mama. Ela deve ser realizada anualmente, a partir dos 40 anos, seguindo a recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia, do Colégio Brasileiro de Radiologia e da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. 

Através do rastreamento mamográfico, é possível reduzir a mortalidade por câncer de mama em torno de 30%, o que justifica adotar esse método como política de saúde pública. Ele ainda aconselha as mulheres a ficarem atentas aos sinais como nódulo, secreção pelo mamilo, lesões na pele, retrações, nós axilares e mudança no formato dos mamilos. Caso um desses sinais sejam detectados, procurar um serviço médico o mais rápido possível. 

Porém, quando o diagnóstico é positivo, é importante saber que o suporte familiar e psicológico pode ser fundamental no tratamento.

 

Casos especiais

Mulheres que possuem um histórico familiar de câncer, fumantes, obesas, que não se alimentam de forma adequada e que consomem bebida alcoólica de forma abusiva devem redobrar a atenção e os cuidados.


Tratamento

O tratamento para o câncer de mama pode variar de acordo com cada paciente, com a fase da doença e também o tipo de tumor. São muitos os tratamentos que podem ser realizados, como cirurgia, radioterapia, quimioterapia, entre outros.


Suporte Psicológico

A paciente que passa por um tratamento de câncer precisa de um acolhimento especial da família, desde o momento em que recebe o diagnóstico. Além do suporte familiar, contar com a ajuda de um psicólogo ajuda a lidar com a doença com menos angústia e as chances de depressão diminuem.

Em:: ,

Seguidores